Xô Aedes!

Troféu Brasil de Natação / Taça Correios

24/05/2001 0 1080

A dengue não conseguiu derrubar Fabíola Molina. A nadadora do Vasco, que esteve 15 dias se recuperando da doença, superou o próprio recorde de campeonato nos 50m costas, com 29s91, nas finais desta quinta-feira, dia 24/05. O tempo ainda está a 12 centésimos do recorde sul-americano da prova, 29s79, também da nadadora. As nadadoras do Pinheiros Talita Ribeiro e Giseli Caetano, ficaram com a prata e o bronze, respectivamente, com tempos de 31s08 e 31s13.


"Estava preocupada com a dengue porque senti que perdi força, mas fiquei mais tranqüila depois que igualei o recorde de campeonato nas eliminatórias. Minha saída nas finais foi muito melhor que no dia anterior e isso, em uma prova de 50m, é fundamental. Dadas as circunstâncias, foi um excelente resultado" - disse Fabíola.


A chuva intensa no início das finais de quinta-feira, 24/05, atrapalhou o aquecimento dos atletas e, consequentemente, ajudou a piorar alguns tempos. Mesmo assim, Gustavo Borges confirmou o favoritismo e foi o campeão brasileiro dos 200m livre, com 1m50s73. Rodrigo Castro, do Minas Tênis, ficou com a medalha de prata pelo tempo de 1m51s05 e Fernando Saez, também do Vasco, foi o terceiro colocado, com 1m52s62.


Mariana Brochado, do Flamengo venceu a colega de clube Monique Ferreira e a nadadora do Vasco, Tatiana Lemos, nos 200m livre. Mariana fez 2m03s64 e levou a medalha de ouro da prova que teve um empate entre Monique e Tatiana, que fizeram 2m04s11. Mariana Brochado, de 16 anos, disse que 2001 está sendo o melhor ano de sua carreira.


-Ganhei medalha de ouro em meu primeiro campeonato sul-americano e agora a primeira vitória em um campeonato brasileiro absoluto. Nunca esperava vencer por causa da Monique, recordista sul-americana da prova, mas na última virada vi que estava na frente dela com meio corpo de diferença e decide que era agora ou nunca. Agora o objetivo é melhorar o tempo nos 800m livre - disse.


Nos 400m medley, pódio vascaíno. Lílian Cerroni venceu as finais, com 4m56s94, e Bárbara Jatobá, que conseguira o recorde de campeonato nas eliminatórias ficou em segundo, com 5m00s41. Rafela Silva foi a medalha de bronze pelo tempo de 5m05s37. Na versão masculina da disputa venceu o rubro-negro Rafael Gonçalves, com 4m27s30. Rafael superara o recorde de campeonato durante as eliminatórias, com 4m27s05. A vitória do atleta do Flamengo fez seu pai, também Rafael, pular das arquibancadas para a piscina e pular n´agua com roupa, sapatos e celular no bolso. As medalhas de prata e bronze ficaram, respectivamente, com Diogo Yabe, do Vasco, e Grigori Matuzkov, do Flamengo, pelas marcas de 4m30s34 e 4m33s48.


O Pinheiros fez o pódio dos 200m peito masculino. Marcelo Tomazini , que também bateu o recorde de campeonato nas eliminatórias, venceu com 2m18s87. Fábio Mauro Silva levou a prata, pela marca de 2m18s85, e Augusto Silva ganhou o bronze, com 2m19s49.